sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Ser Obreiro

Que prazer inexplicável é fazer o trabalho de um obreiro, trabalho esse muito privilégiado, de ganhar almas, cuidar do povo de perto, tirará-los do reino das trevas e tranportar-los até o Reino de Deus.

Esse trabalho não é facio, porque não se faz um homem e uma mulher de Deus da noite pro dia, o obreiro ora, clama, suplica, faz jejum, faz prósitos, atende, orienta, repreende, ensina o povo; com a unica intenção de tramportar a alma das pessoas ao Reino de Deus.

Fazer discípulos é algo muito sério, porque pra fazermos temos no assegurar que estamos bem com Deus, que somos realmente nascidos de Deus e não da carne; porque o nascido de Deus faz filhos nascido de Deus, mas o nascido da carne faz filhos nascido da carne.

De maneira nenhuma ser obreiro é um fardo, não é ruim nunca, é maravilhoso, é gratificante; você cuidar de uma pessoa e ver a vida dela se tranformando até que essa encontre a Deus, tem coisa melhor? Só quem não está bem com Deus se sente sobrecarregado na Obra, não consigo me imaginar longe dela.

O obreiro diferente do pastor tem sua vida fora da igreja, trabalha, estuda e até lhe dão com familiares incredulos em casa, muito enfrentam enormes problemas; mas, quando o obreiro se senta com uma pessoa na igreja pra atender é como se sentassemos com Deus, percebemos ali que nós, na verdade, não temos problemas, quem tem é o povo e precisamos ajudá-los.

Deus está com o povo, e quando nós estamos perto do povo ficamos bem espiritualmente, atendemos em nosso próprio atendimento Deus fala tando com a pessoa quanto conosco, é inexplicavel!

Quando o obreiro começa reparar o tamanho de seus próprios problemas pode ter certeza ele está longe do povo, e consequente, longe de Deus, pois quem traz o povo na igreja é Deus, quem orienta o povo é Deus, quem da forças pro povo é Deus; sendo assim, Deus está com o povo.

Por burrice minha eu fiquei 3 meses de banco, ou seja, tres meses sem trabalhar de obreira; e afimo, foram os tres piores meses da minha vida, porque é o que amo fazer, e eu me vi numa situação horrivel de ver o povo e não poder orar por eles, ajuda-los...não digo isso em questão de uniforme, mas a própia unção naqueles meses foi interrompida, é como se eu fosse um vaso e o meu Senhor como um oleiro estivesse me quebrando e refazendo-me novamente, mas agora do jeito dEle.

Ganhar almas, fazer discipulos, filhos espirituais... esse é o desejo de todo nascido de Deus, pois o que recebemos de Deus queremos que todos recebam também.

Vale apena resaltar que ganhar almas não é evangelizar, e também não é trazer uma alma na igreja. Ganhar almas é trazer a pessoa pra igreja e cuidar dela, libertá-la dos demonios totalmente, fazer ela mudar de vida, se converter e nascer de Deus; pronto, agora ela ja pode andar com suas próprias pernas, ganhei a alma dela pra Jesus, ela nasceu de Deus, agora ela fará dicípulos também!

O processo é muito doloroso para o obreiro que faz filhos espirituais, é como sentíssimos dores de parto; é algo muito espiritual, pois nossa luta é contra os demonios que não querem abandonar aquela alma, não é facio lhe dar com tantas duvidas, desanimo, vergonha, medo, fraqueza, orgulho... e tantas coisas que tras um nascido da carne.

As pessoas pelo qual eu acompanho não saem da minha cabeça, eu estou no serviço e fico pensando qual propósito farei por elas, estou na escola e fico pensando o que vou falar pra elas na igreja hoje, estou em casa estou orando por elas... Jesus está voltando, não temos muito tempo, temos pressa.

O tempo vai acabar, e quantas almas conseguimos de fato ganhar???

Nenhum comentário:

Postar um comentário